Monday, March 29, 2010

Carvão

Alma que vagueia pela escuridão, dizes que só fazes mal, que não serves para nada, que só estragas aquilo em que tocas. É possível que assim seja. Mas somos uma incógnita mais para nós mesmos do que para os outros, louco é aquele que tenta descrever-se.

Mas, repara, nem toda a gente procura o pão douradinho e fumegante acabado de sair do forno aquecido, bem cheiroso e saboroso. Há-os também que apreciam o que os outros rejeitam -- o que sabem eles? -- e não te recolhem no colo por piedade, não, mas porque sentem que és muito melhor do que se percebe ao primeiro piscar. Ninguém dá nada pela concha que protege a pérola, mas pela pérola...

Deixa que as minhas mãos te envolvam, te sintam, dá-te a conhecer ao meu tacto, estuda o meu toque, percebe o quanto és querida. Não és só tu quem treme, também eu me arrepio a cada liberdade que me dás sobre a tua pele Arrefece o teu fel, aceita quem vem por teu bem.


No comments:

Post a Comment

Aqui

Total Pageviews

There was an error in this gadget

Followers

Blog Archive