Saturday, April 30, 2011

enxaqueca

Detesto acordar com esta dor de cabeça lancinante. Por onde terei andado desde que me deitei?


Thursday, April 28, 2011

da cortesia

É curioso o facto de que, quando alguém entra num consultório médico e cumprimenta os circunstantes, todos devolvem o cumprimento.


sopa

Comprei uma concha de servir sopa porque queria uma colher de sopa mais funda.


A+

O meu tipo sanguíneo tem a nota máxima.


Sunday, April 24, 2011

preservativo

Sou pouco sensível e o preservativo corta-me parte do prazer. Uso-o por medo de doenças venéreas e de ser pai, mas tenho sempre de mentalizar-me que, do mal, o menos. Usar preservativo é como ouvir música debaixo de água. Cumpre uma função, mas do ponto de vista do prazer é como ser anestesiado. Não sei porque é que a ciência não continuou à procura de uma alternativa.

Far-me-á sempre confusão, porque grande parte do acto sexual é intimamente cerebral, é um bailado, é conduzir uma orquestra com uma partitura inventada na hora. Se alguns instrumentos são abafados, o seu som não é o que devia ser e, enquanto maestro, fico descompensado, tenho de reinventar-me. Torna-se necessário haver um acto preparatório de mentalização ou um crescendo de antecipação. Há diversas técnicas, só que o seu recurso não deveria ser constante. Imagino que muitas pessoas casem para deixarem de pensar tanto.


Neste verão, Amorangue a sua Baunilha

O anúncio:

Manequim de biquini chega à praia, toda branquinha, filmada de costas a caminhar em direcção à água. Voz off: "Baunilha". Ela pousa a toalha, senta-se e tira qualquer coisa da saca. Entretanto, a câmara rodeia-a, para se ver como é jeitosa. Da mala, cai um tampão à areia. Ela faz uma expressão de resignação. A seguir, um vendedor ambulante da Olá. Ela sorri, levanta-se, e vai comprar um Cornetto de Morango. Voz off: "Neste verão, amorangue a sua baunilha".


Reacções:

Esta expressão ainda vai ser huge este verão. Exemplo na night:
- Já estamos todos prontos para sair, demoras muito?
- Hoje não me apetece sair, estou maldisposta.
- Ah, tens a baunilha amorangada...



ou


Exemplo na praia:
- Olá, queres vir à água?
- Não, hoje não me apetece.

- Ah, tens a baunilha amorangada...

Saturday, April 23, 2011

amorangar a baunilha

Lá estão as mulheres sempre a dizerem que o sexo anal é para os gays. Mas os gays, mesmo não tendo alternativa, gostam. As mulheres, que podem ter o melhor de dois mundos, dá-lhes para as esquisitices. Olha o seguinte exemplo: se eu te puser à frente um gelado de chocolate e outro de morango, tu não ficas só com um, queres os dois. Portanto, nem sempre é obrigatório escolher, há situações que não se invalidam umas às outras.

(pausa)

Por acaso, a analogia dos gelados até não foi mal esgalhada. O gelado de chocolate, já se sabe ao que se refere, é castanho e basta. O de morango... bem, todos os meses, as mulheres amorangam a baunilha...

Friday, April 22, 2011

Ovo da Páscoa

O ovo da Páscoa que me ofereceram reza, no rótulo, ter validade até Novembro de 2013. O que levanta questões curiosas, como o facto de a loja onde foi comprado ter ainda duas Páscoas para vendê-lo, antes de ter prejuízo, ou como eu podia guardá-lo no congelador ou ir comendo aos bocadinhos durante os próximos dois anos.

Em dez minutos, essas  questões deixaram de fazer sentido.


Blast from the past - Carla Duas Couves


Uma chamada telefónica vinda do nada, de uma das primeiras mulheres da minha vida, que amei quando achava que esse sentimento podia destruir-me.
Já não a vejo desde 1993, mas os meus pais cruzaram-se com ela algumas vezes e daí veio o seu número de contacto, o que levou a uma chamada de cinco minutos, onde foi evasiva e disse que depois me ligava de volta, o que não aconteceu.
O ano passado, liguei-lhe e fiquei a saber os diversos rumos que a sua vida tomou, filhos, marido e empregos, missão cumprida por tempo indeterminado, até que uma voz que reconheci imediatamente me disse ontem:
- Acho que acabei de ver-te.
Sabendo que não podia ser verdade, a menos que estivesse pendurada de um primeiro andar a olhar-me pela janela, perguntei:
- Onde?
- Sabes onde estou?
- À minha janela?
- Na estação de S. Bento.
- Não era eu.
- Eu também achei que não podias ser tu, não podias ter emagrecido tanto, mas fiquei com vontade de ver se o teu número continuava o mesmo.
E assim conversámos durante alguns minutos, onde me fez o ponto de situação da sua vida e lhe devolvi com pouco mais do que a minha situação profissional, já que a outra não sai da cepa torta.
- Bem, diz-me ela - Tu sempre tiveste uns gostos muito peculiares.
- Pior do que isso, eu também sou peculiar, portanto não basta escolher, também tenho de ser aceite na mesma proporção.
E mais dissemos, até à típica desculpa económica de falar ao telemóvel para redes diferentes nos ter conduzido ao fecho da chamada.

Wednesday, April 20, 2011

size matters

- Bolas, não trouxe preservativos. Tens?
- Não tenho nenhum S.
- Engraçadinha. Que tamanhos tens?
- Só tenho XL e XXL.
- Tens um elástico?


Tuesday, April 19, 2011

Análises

Era bom ter-me lembrado de que análises ao sangue se fazem em jejum.


Monday, April 18, 2011

chuva

Molhado até aos ossos e com um humor de cão. Dava um belo primeiro verso para uma canção.


frescura

Quando chegou, molhada da chuva, disse-lhe:
- Olá, frescura.
Claro que os broncos com que trabalho tinham de transformar essa inspiraçao em brejeirice.


funerais

‎- Então que gravata é essa, morreu alguém?
- Imagina a minha surpresa quando aqui cheguei e te vi de pé.


Wednesday, April 13, 2011

viver sem...

Gosto de comédias românticas, porque são duas coisas imprescindíveis à vida.


Tuesday, April 12, 2011

do além

Para os ricos há o Céu, para os pobres a reencarnação.



marés

Vou continuar a remar contra a maré, a ver se, com a minha obstinação, a maré muda de direcção.


justiça

Desde miúdo, nunca gostei de filmes onde o mau passa o filme a fazer mal aos outros e no fim é morto, de forma indolor, com um único tiro. Cai e pronto. Não, é preciso pôr sal na ferida.


pena de morte

Não é contraditório que, em tempos de guerra, se encolham os ombros à morte de milhares de inocentes de uma assentada mas, em tempos de paz, seja chocante matar um único?


ciúme

As mulheres não são ciumentas porque acham todos os homens capazes de traição, mas porque elas próprias estão sempre a um passo de sucumbir à tentação.


Monday, April 4, 2011

uso

- Fato de três peças. Ah, Ricardo, devia vir sempre assim.
- Mas, assim, o fato gastava-se...


do arrumo

O chefe, a abanar a pasta:
- Ricardo, este processo está um desarranjo!
- Dr, hoje ainda nao veio a mulher da limpeza.


espaço

Ela: Se ele não gosta do meu aspecto, temos pena.
Eu: Mas tambem percebo o lado dele, tu podes ser tipo o armário que, por mais bonito, não cabe onde ele queria metê-lo...


validade

Comprei um par de luvas com prazo de validade.
São luvas de protecção da categoria 2, em conformidade com as normas EN420 e EN388 de 2003. No cartão que as unia uma à outra, pode ler-se, nas instruções de utilização: Utilize as luvas até 2014. Se as utilizar por um período prolongado, verifique cuidadosamente se as luvas apresentam danos e alterações.


Sunday, April 3, 2011

Perdoar e esquecer

Perdoar e esquecer são duas coisas diferentes. Perdoar é sinal de superioridade, esquecer de estupidez.


Friday, April 1, 2011

alzheimer

E foi porque me esqueci de desligar a torneira do lavatório que ganhei uma piscina.


Total Pageviews

Followers

Blog Archive